POLÍTICOS, ACORDAI!

 

À centenas de quilômetros da virtude absoluta, pois essa não existe, a sociedade assiste estarrecida a derrocada moral da classe política, envolvida aqui e ali, cada vez com maior intensidade, em denúncias de corrupção e mau uso de dinheiro público.

Por evidente que existem políticos honestos, e estimamos que seja a maioria, mas o mau exemplo de uns quantos tem manchado inapelavelmente a todos. É como uma maçã podre em um barril, que contamina a todas.

Nem bem uma quantidade incrível de políticos dos mais diversos matizes foi condenada e uns recolhidos ao presídio e começamos a assistir, abobados, à marcação do julgamento no STF do gênesis do mensalão, envolvendo outro grande partido político. Já sabíamos da existência do processo, mas não tivemos tempo de digerir as primeiras condenações e outras se avizinham, esmagando-nos.

No fundo, mesmo os inimigos políticos mais ferrenhos dos condenados e dos agora processados torciam para que fosse tudo mentira, mas temos de acreditar que o Poder Judiciário fez a justiça que os autos indicavam. Nunca na história do país tivemos tanto debate na mídia e nos tribunais, com aparente ampla defesa e contraditório. As condenações se deram por unanimidade ou por amplas maiorias, e não é crível que todos os ministros estejam errados.

O problema é que não se vê movimentos reais, efetivos e sinceros para a modificação desse quadro de deterioração da atividade político-partidária.

Com isso, surge o tempo todo ideias agressivas e radicais de golpe, luta armada, paredão para uns e outros, e outras mais criativas ainda. Ou seja, se o sujeito está doente gravemente, damos a ele um veneno que o mate.

A democracia, já se disse, apesar de todos os seus defeitos, ainda é o melhor sistema, ou, que seja, o “menos ruim”. Ela mesma tem de encontrar mecanismos legais, legítimos e pacíficos de solucionar os problemas que, desavisada, deixou que surgissem.

Mas, como quem faz a lei que regula a democracia é a classe política, precisamos gritar, porque eles estão surdos:

– Políticos, acordai! O País é para sempre, os Senhores são passageiros. Não vos esquecei das futuras gerações, que já estão aí, pelas ruas, pelas praças, pelas lavouras, pelas escolas e parlamentos. Não sois os únicos responsáveis, mas os mais visíveis e aqueles a quem, mal ou bem, confiamos a administração de nossa vida política e administrativa.

Até quando vão fazer de conta que não é com vocês?

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s