COTAS PARA DROGADOS

 

Apesar de alguns problemas de implementação, sempre defendi as cotas raciais para universidades públicas, como forma de recuperar as históricas injustiças com negros, índios e pardos.

Mas, confesso, por absoluta falta de inteligência pessoal, que ainda não entendi a proposta de um deputado mineiro de reservar dez por cento em concursos públicos para usuários de drogas!

Sem dúvida que o uso de drogas é uma doença grave, que deve ser encarada com seriedade pela sociedade, e não como um desvio de caráter ou falta de vergonha na cara, e que uma das formas de reintegrar os usuários à sociedade é através do trabalho.

Não duvido ainda que os usuários de drogas têm muito mais dificuldades de acessar aos empregos e manter-se empregado, o que merece atenção especial de todos.

O incrível é que quem defende as cotas para usuários nos concursos para cargos públicos são os mesmos que advogam a liberação ou descriminalização do uso da maconha, num primeiro momento, não sendo de duvidar que a intenção é liberar geral. Os traficantes estão de alma lavada!

Como será que vão decidir quem é e quem não é usuário de drogas? Se eu passar a usar drogas a partir da aprovação da lei, posso declarar-me usuário e garantir uma vaga? Sim? Bueno, então vou começar amanhã mesmo!

Já pensaram que legal um juiz usuário de drogas, puxando um baseado durante as audiências? Que tal um policial perseguindo um traficante (daí, parceiro, tudo em cima?) dopadinho? Ou um médico que tem de interromper o atendimento no posto de saúde para cheirar uma carreirinha?

Não estou brincando nem fazendo pouco caso dos problemas das drogas, pois trabalhei quase trinta anos em contato com pessoas e famílias atoladas até o pescoço no consumo de drogas (esta coisa bacana socialmente aceita por alguns políticos ávidos por votos), que matam, furtam e causam enormes tristezas e prejuízos à sociedade.

O uso de drogas não é um a festa colorida, divertida e inconsequente, mas um inferno de sofrimento e dor. Quem trabalha sob efeito de drogas não deve ser punido, mas tratado. No entanto, isso não significa que se possa imaginar reservar vagas para usuários, como um prêmio.

Acabo de descobrir porque nunca fui promovido por merecimento: nunca usei drogas. Se as tivesse usado, hoje eu não seria esse Zé Mané que sou.

 

 

 

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “COTAS PARA DROGADOS

  1. Vamos ter que lutar por cotas para brancos estudiosos, trabalhadores e honestos, caso contrário não teremos mais vez.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s