FELICIDADE POR DECRETO

 

         À bem da verdade, deve-se deixar claro que o Governo da Venezuela, ao criar o Vice Ministério da Suprema Felicidade Social deu ao anjo que vai assumir a pasta a função de cuidar dos sem-teto, desvalidos, idosos e crianças, o que é positivo e necessário, mas que abusou da criatividade, isto sim!

Com o devido respeito, o nome sugere a possibilidade de, através de normas escritas e atuação governamental, criarmos um Estado da Felicidade Oficial e, uau, Felicidade Suprema! Não basta a felicidade, ela tem de ser suprema, gloriosa, absoluta, sem máculas, o céu. Bah, tchê!

No Brasil, segundo me contaram, existe um projeto de emenda constitucional estabelecendo, entre os já inúmeros e desprezados direitos individuais, o da “busca da felicidade”, o que constaria de outras constituições de países mais modernos.

Daí eu fico me perguntando: apesar de alguns percalços, sou feliz há mais de 58 anos, sem que tivesse este direito garantido na Constituição. Ou seja, sou, há mais de meio século, inconstitucionalmente feliz. Claro, se a Constituição não diz que tenho direito à felicidade, no momento em que sou feliz, estou atuando contra a Carta Magna. Só posso ser o que a lei permite. Vou me processar.

Sei que as pessoas que inventam estas mágicas legais para garantir a felicidade estão bem intencionadas, ou não, talvez queiram apenas enganar os incautos com a ideia de que o Estado dá tudo, inclusive felicidade. Se o Estado dá tudo, entregue sua vida nas mãos dele.

Sempre achei que a felicidade fosse tão somente o resultado de escolhas certas e atitudes corretas, muito trabalho e amor ao próximo, mas agora descobri que estava errado: a felicidade é uma mercadoria eleitoral que só o Estado provedor possui e distribui a quem acredita nele!

Pensei em propor que, a exemplo do que acontece com a saúde, a educação, o meio ambiente e outros direitos que, sendo garantia do cidadão é dever do Estado, se poderia escrever assim:

“A felicidade é um direito de todos e um dever do Estado, que a promoverá enganando os trouxas que acham que basta eleger alguém e esperar que ele faça tudo por nós”.

Na semana passada andei um pouco infeliz. Vou processar o Estado que não cumpriu com seu dever de me manter feliz.

Fala sério, meu.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “FELICIDADE POR DECRETO

  1. JOSÉ SALES MARIANO DA ROCHA

    ÓTIMO COMENTÁRIO, CARO AMIGO PROMOTOR.
    ABRAÇOS.
    JOSÉ S.M. ROCHACHA

  2. A que ponto chega um governo de esquerda para enrolar o povo? Nem Deus acredita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s