MAIS EDUCAÇÃO E MENOS POLÍCIA

 

         Tenho certeza que até mesmo os policiais, com quem tenho convivido respeitosamente por mais de trinta anos, vão concordar comigo que o sistema repressivo só existe porque o sistema educacional não é valorizado.

E, quanto maior o valor se dá a medidas de repressão, que evidentemente dão a ilusão de solução rápida para um problema crônico como a deficiente segurança pública, menores são os recursos utilizados em educação.

Certa oportunidade, no recinto do Ministério Público, assisti a uma palestra proferida por um pai que havia acabado de perder um filho para a violência e que advogava que era uma bobagem dizer que quanto maior educação menor a criminalidade. Isto porque, segundo ele, nos Estados Unidos existem presos com doutorado.

Perguntei-lhe então se a tese era a de fechar as escolas como forma de reduzir a criminalidade, já que educação não estava servindo para nada. Ele, do fundo de sua compreensível dor, não soube responder.

Aí eu digo que não é a partir de uma dor profunda, de uma revolta justificada e de uma desilusão absoluta da vítima no sistema que vamos responder a estas perguntas, mas baseados em conceitos científicos e desarmados de preconceito e envolvimento emocional.

Também o sistema a que pertenci, o Ministério Público, e aquele frente ao qual atuei, o Poder Judiciário, poderiam ser bem menores se houvesse, efetiva e sincera vontade política de dotar a sociedade de mais escolas, mais recursos pedagógicos, mais professores bem remunerados.

Pitágoras, filósofo e matemático grego que viveu de 580 a.C. até 497 a.C. teria dito “eduque às crianças e não será necessário castigar aos homens”. Não é a toa que a Grécia foi considerada o Berço da Cultura Ocidental!

Tem gente que acredita mais no cacete, na bala e na violência do que nas ideias, na argumentação e na educação, e isto não é aceitável. Não podemos ser ingênuos a ponto de acreditar que nenhuma repressão é possível, pois limites tem de ser estabelecidos, mas crer que a força física é maior que a palavra é aceitar, sem lutar, a falência da civilização e assumir de vez a volta às trevas e a ignorância.

A repressão é o caminho mais curto para o fracasso, a educação é a solução, sempre, por mais demorados que sejam seus resultados.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

3 Respostas para “MAIS EDUCAÇÃO E MENOS POLÍCIA

  1. cristiane bortoluzzi corino

    Dr. João Marcos, concordo plenamente. Grande abraço. Cris

  2. denise

    Os políticos deveriam investir mais na educação pois ela é a base de tudo! Tem que haver um investimento agora, já, para que no futuro tenhamos um país mais justo, menos desigual. É impossível um país crescer sem investimentos na educação do seu povo!

  3. Elizete Helena A. da Cruz

    Sim, a educação é um mecanismo de transformação social. E, inobstante a escola ser o espaço de aprendizagem cognitiva, a família, a sociedade e o próprio estado também tem o papel fundamental no desenvolvimento da cidadania de nossas crianças e adolescentes. Portanto, a questão fundamental da educação de hoje é orientar para o respeito mútuo, para o pensar de forma crítica, autônoma e criativa, para a preservação e proteção de nossos recursos ambientais e, acima de tudo, aceitar o outro com suas múltiplas possibilidades e seus diferentes saberes!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s