MULHERES ESPANCADAS: estranhos devem denunciar?

 

Estou ciente de que vou despertar a ira de muitas pessoas, especialmente das mulheres, mas ante a possibilidade de um terceiro, que não participa da vida do casal, vir a ter o direito de registrar a ocorrência de maus tratos, resolvi me manifestar.

Sem dúvida  que, em geral, as mulheres espancadas não tem opções a não ser ficar quietas, uma vez que tem filhos com os espancadores, não possuem condições econômicas e intelectuais de sair de casa e se afastar daquele ambiente de ódio.

Há muito não se fala em preconceitos contra uma mulher pelo simples fato dela ser separada do marido, como acontecia décadas atrás, ao contrário, praticamente todo mundo apoia aquela que, reagindo às agressões, toma outro rumo em sua vida.

É claro, também, que cada vez é menor o número de mulheres que, por ausência de condições econômicas e falta de uma profissão se veem obrigadas a suportar agressões físicas, morais e sexuais dos parceiros. Mas isto ainda ocorre.

Sabemos, ainda, que são quase intransponíveis as barreiras para provar a materialidade e a autoria das agressões, uma vez que elas, em regra, ocorrem no interior das casas, longe de testemunhas, e, em raríssimos casos, os vizinhos apenas “ouvem” os gritos e as discussões. Some-se a isto a pouca vontade de “se meter” na vida dos outros.

Então, como fica quando eu, cheio de boa vontade e absolutamente consciente de minhas responsabilidades sociais comunico à autoridade policial ou judicial que meu vizinho bate ou bateu na esposa? Será que ela quer isto, ou tem condições de sair de casa depois deste meu lindo gesto de solidariedade?

Será que o espancador vai ficar tão assustado com o registro de ocorrência ou arrependido que vai parar de espancar a parceira, ou ele vai ficar tão irritado que vai matá-la?

Qual é a proteção que o Estado dá a esta companheira espancada? Ou ela sai de casa e foge para bem longe, por conta própria? Você que denunciou vai abrigá-la em sua casa ou vai dizer “a minha parte eu já fiz”?

Não estou dizendo com isto que não devamos ser solidários, mas que temos de tomar enormes cuidados para não piorar a situação. Apesar das brincadeiras de mau-gosto, duvido que alguma mulher goste de apanhar, a não ser que seja doente, o que lhe garantiria um atendimento psicológico, e não indiferença ou a chacota da sociedade.

Não estou defendendo a omissão, apenas a cautela.

Não são respostas que apresento. Ao contrário, são dúvidas que espero sejam espancadas (ops!) através de discussões sérias e responsáveis.

Sem oba, oba, pessoal!


Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “MULHERES ESPANCADAS: estranhos devem denunciar?

  1. Concordo quando diz que devemos tomar cuidado para não piorar a situação e devemos ser cautelosos, pois respostas exatas nas relações humanas e sociais ainda não conheço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s